Projeto Político Pedagógico

Realiza procedimentos de transportes, armazenamento e distribuição das cadeias de suprimentos. Agenda programa de manutenção de máquinas e equipamentos. Supervisiona processos de compras, recebimento, movimentação, expedição e distribuição de materiais e produtos. Presta serviços de atendimento aos clientes.

Conforme prevê o CNCT (2016, p.87), o Técnico em Logística pode atuar em “Instituições públicas, privadas e do terceiro setor”, envolvendo empresas da área da indústria, comércio, serviços, agronegócio e organizações sem fins lucrativos

O PPC do Curso Técnico em Logística foi elaborado com a perspectiva de formar profissionais que tenham uma visão sistêmica das operações logísticas e suas interfaces com as demais áreas da empresa. O PPC contempla a contextualização da realidade, as necessidades, e as particularidades regionais com práticas contemporâneas em logística. Com o desenvolvimento de habilidades e com a utilização de ferramentas gerenciais e técnicas, o egresso será capaz de:

- Compreender os diversos setores de funcionamento da área de logística;

- Participar do planejamento logístico da empresa;

- Gerir recursos materiais da área;

- Controlar custos logísticos;

- Planejar e executar atividades de gestão de suprimentos, armazenagem, movimentação e distribuição;

- Executar os processos de abastecimento;

- Executar rotinas de logística de distribuição física, transportes e logística reversa;

- Conhecer e aplicar métodos e ferramentas da qualidade;

- Executar, controlar e avaliar os procedimentos da área de gestão da produção.

A metodologia de ensino empregada para ministrar os conteúdos e atividades programáticas estará em sincronia com o contexto do mundo do trabalho, perfil de formação profissional desejado e interação com as demais unidades curriculares do curso. Os conteúdos, atividades, orientações, formas e horários de atendimento, tutoria aos estudantes pelo docente no Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA), e ainda outros recursos que forem pedagogicamente pertinentes, serão organizados de acordo com o plano de ensino previsto para a unidade curricular em questão e disponibilizados por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) e pelo AVEA (Moodle).

 

Dentre os procedimentos didático-metodológicos básicos propostos destacam-se:

• aulas expositivas dialogadas;

• exposição de vídeos;

• exercícios individuais e em grupos;

• seminários e estudos de caso;

• atividades EaD;

• visitas técnicas;

• trabalhos de pesquisa;

• avaliação de aprendizagem.

Serão realizadas atividades assíncronas como parte da carga horária EaD. A interação entre estudantes e docentes se dará por meio do AVEA (Moodle) através de videoaulas, livros digitais, fóruns, questionários e locais para postagem dos arquivos elaborados pelos estudantes em cumprimento às tarefas descritas. O docente deverá realizar a apresentação do AVEA aos estudantes. Como material de estudo, serão disponibilizados trechos de referências teóricas, estudos de caso e eventuais produtos audiovisuais da mídia nacional e internacional (como reportagens, vídeos ou filmes) sobre o tema. O AVEA passa por avaliações periódicas devidamente documentadas, que resultam em ações de melhoria contínua.

Chefe DEPE:

Professora Daiana Schmidt Endereço de e-mail: depe.slo@ifsc.edu.br Telefone: (49) 3344 – 8495

 

Contatos:

Alex Restelli, alex.restelli@ifsc.edu.br, (49) 3344-8495. Daiana Schmidt, depe.slo@ifsc.edu.br, (49) 3344-8495.

 

Nome do Coordenador/proponente do curso:

Alex Restelli, teclogistica.slo@ifsc.edu.br, (49) 3344-8495.

A avaliação consiste em um instrumento diagnóstico, processual e formativo, fundamental para toda prática pedagógica, que visa localizar necessidades e compreender superações do educando estudante durante o processo de ensino-aprendizagem. Também serve para que o docente tenha subsídios que sustentem tomadas de decisões sobre encaminhamentos nos processos de ensino-aprendizagem, ou seja, aponta as progressões desejáveis do fazer educativo do docente. Por isso, a avaliação será realizada de forma contínua, permitindo que a recuperação por parte dos estudantes aconteça durante o processo de ensino-aprendizagem. Sobre a avaliação da aprendizagem, para garantir autonomia discente o Regulamento Didático Pedagógico (RDP) do IFSC, aprovado pela Resolução Consup Nº 20, de 25 de junho de 2018, no Art. 96 orienta que os instrumentos de avaliação serão diversificados e, deverão constar no plano de ensino do componente curricular, estimulando o estudante à: pesquisa, reflexão, iniciativa, criatividade, laboralidade e cidadania. As formas ou tipos de avaliação presencial, podem abranger trabalhos de pesquisa individual ou coletiva, testes e provas escritos, com ou sem consulta, resoluções de exercícios, relatórios e atividades práticas referentes àquela formação e demais instrumentos que a prática pedagógica indicar. Além desses instrumentos, será considerado como critério de avaliação a observação diária dos estudantes pelos docentes. Neste contexto, os docentes poderão contribuir e incentivar o desenvolvimento de atitudes comportamentais, trabalho em equipe, respeito a comunidade escolar, zelo pelo patrimônio e o cumprimento das tarefas e prazos, valorizando as iniciativas e as contribuições dos estudantes nas aulas. As avaliações a distância e presenciais seguirão as datas previstas no cronograma geral do curso, de acordo com o calendário do câmpus, e no plano de ensino de cada unidade curricular. As avaliações serão registradas no diário de classe, sendo analisadas conjuntamente com os estudantes e devolvidas aos mesmos, no prazo máximo de 15 (quinze) dias letivos após sua realização, conforme previsto no Art. 96 § 3 do RDP. O estudante terá nova oportunidade de prestar atividades de avaliação não realizadas por motivo de doença ou por falecimento de familiares, convocação do judiciário e do serviço militar, desde que encaminhe, em até 2 (dois) dias letivos contados do final do afastamento, um requerimento à Coordenadoria de Curso, com os documentos comprobatórios do impedimento. O requerimento deverá indicar a data e o horário das atividades de avaliação não realizadas, o componente curricular e o nome do seu docente. Já a comprovação de ausência por motivo de saúde, somente será aceito o atestado médico ou o odontológico (Art. 97 RDP). Ainda, segundo o RDP, o Art. 98 orienta que a recuperação de estudos, a que todos os estudantes têm direito, compreenderá a realização de novas atividades pedagógicas no decorrer do período letivo, que possam promover a aprendizagem. As novas atividades ocorrerão, preferencialmente, no horário regular de aula, podendo ser criadas estratégias alternativas que atendam necessidades específicas, tais como atividades sistemáticas em horário de atendimento paralelo e estudos dirigidos. Ao final dos estudos de recuperação o estudante será submetido à avaliação, cujo resultado será registrado pelo docente, prevalecendo o maior valor entre o obtido na avaliação realizada antes da recuperação e o obtido na avaliação após a recuperação. O Art. 99 orienta que será permitida a revisão de atividade de avaliação, por solicitação do estudante, quando ele discordar da correção realizada pelo docente. O controle da frequência às aulas será de responsabilidade do docente, devendo ser efetuado no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas, sob a supervisão da Coordenadoria de Curso, que por sua vez, pode contar com o auxílio da Coordenadoria Pedagógica. Cabe ao estudante acompanhar a sua frequência às aulas. O conselho de classe ocorrerá em dois momentos distintos: conselho intermediário e conselho final, conforme Art. 103 do RDP. O conselho intermediário será participativo ou representativo e consistirá em um espaço para refletir, revisar e tomar decisões sobre a prática educativa a partir dos apontamentos dos estudantes. Já o conselho final, enquanto reunião de caráter deliberativo, servirá para avaliar o aproveitamento dos estudantes em cada unidade curricular. A decisão do resultado final dependerá da análise do conjunto de avaliações, ponderações, discussões e encaminhamentos do conselho de classe final. Cabe ao conselho de classe a deliberação sobre excesso de faltas, considerando os motivos devidamente documentados. Conforme o Art. 102, o resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis). Ao estudante que comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária estabelecida no PPC para o componente curricular será atribuído o resultado 0 (zero). O registro da nota de cada componente curricular será realizado pelo docente no diário de classe na forma de valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O docente tem liberdade para atribuir valores fracionados de 0 a 10 nas avaliações parciais. A decisão do resultado final, pelo docente, dependerá da análise do conjunto de avaliações, suas ponderações e as discussões do conselho de classe final. A avaliação será realizada, em cada componente curricular, considerando os objetivos do plano de ensino. Sobre as unidades curriculares que agregarão parte da carga horária destinada ao EaD (apresentadas no item 29 deste documento), será realizada tutoria aos estudantes pelo docente por meio do AVEA, suportado pela plataforma Moodle. Cada docente será responsável por elaborar o material de apoio e oferecer o suporte às atividades EaD em sua respectiva unidade curricular. Como material de estudo, poderão ser disponibilizados trechos de referências teóricas, estudo de caso e eventuais produtos audiovisuais da mídia nacional e internacional (como reportagens, vídeos ou filmes) sobre o tema. As atividades, denominadas assíncronas, poderão ocorrer na forma de vídeoaulas, fóruns, questionários e locais para postagem dos arquivos, incluindo a apresentação do AVEA (Moodle), entre outras atividades a serem desenvolvidas assincronamente com cronograma estabelecido no plano de ensino da unidade curricula. Para esses casos, as avaliações poderão ser planejadas e executadas no AVEA. O docente pode utilizar critérios tradicionais de correção, portfólio ou rubrica. Será respeitado sempre os critérios do plano de ensino e o RDP, utilizando na avaliação, preferencialmente, as mesmas metodologias utilizadas na explicação do conteúdo. As opções de atividades avaliativas podem variar entre fóruns, trabalhos grupos, mapas conceituais, portfólio, questionários (dissertativos e objetivos), levantamento de dados, simuladores, produção de vídeo, pesquisas, entre outras atividades elaboradas no AVEA.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker4-srv1.appdocker4-inst128/09/2022 02:48