Projeto Político Pedagógico

Profissional capaz de construir interfaces, codificar funcionalidades e testar aplicativos básicos para dispositivos móveis.

O egresso do curso pode atuar em empresas de qualquer ramo que necessitem da criação, melhoria ou manutenção de um (ou mais) aplicativo(s) para dispositivos móveis.

1. Criar aplicativos básicos para as mais diversas necessidades utilizando as ferramentas disponíveis no ambiente de programação MIT App Inventor e as funcionalidades disponíveis no sistema operacional Android.

A metodologia de desenvolvimento pedagógico deste curso tem em vista a formação profissional, composta pelo conhecimento de técnicas específicas da área de atuação, pelo desempenho da profissão levando em consideração princípios e valores (ética profissional, relacionamento interpessoal, trabalho em equipe, leitura e interpretação de informações técnicas). Para tanto serão realizadas atividades contextualizadas e de experiência prática ao longo do processo de formação, com apresentação do conteúdo através de diferentes mídias e atividades práticas frequentes.

As atividades práticas que integram o projeto pedagógico tem como intuito contribuir para que a relação entre teoria e prática estejam presentes em todo o percurso formativo. São momentos estratégicos em que o estudante constrói conhecimentos e experiências por meio de atividades que buscam reproduzir situações reais e contextualizadas na vida profissional do desenvolvedor de aplicativos.

Os recursos pedagógicos utilizados neste curso visam atender as particularidades do ensino a distância. A partir de um Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem (AVEA), o conteúdo será disponibilizado em diversas mídias como vídeos, sites e livros digitais. No AVEA os alunos terão  oportunidade de manterem comunicação assíncrona ou síncrona com outros alunos e os docentes, possibilitando o relacionamento interpessoal e trabalho em equipe, mesmo que à distância.

Na metodologia predominantemente prática prevista para este curso, as atividades serão organizadas em módulos (“blocos”) de desenvolvimento de aplicativos básicos, com periodicidade aproximadamente semanal, contornados por exposições iniciais e finais.

Destaca-se que cada prática prevê um leque de possíveis atividades componentes, como:

• Desenvolvimento com assistência expressiva do docente, apresentando recursos e práticas a serem reproduzidas pelos estudantes. A apresentação poderá ser realizada em formato de videoaula, permitindo o consumo assíncrono. O resultado atingido pelo estudante poderá ser registrado através do envio de arquivos no AVEA, correspondendo a um aplicativo gerado que seja similar ao demonstrado no vídeo.
• Etapa de verificação na forma de questionário no AVEA, com objetivo de evidenciar ao estudante eventuais lacunas de entendimento não preenchidas pela atividade anterior. Estas lacunas poderão ser preenchidas pelo consumo do material complementar, em forma de livro virtual, disponibilizado em conjunto ao questionário, ou através da interação com os docentes e demais colegas no fórum da unidade, ou diretamente por troca de mensagens ou webconferência para atendimento.
• Etapa de desenvolvimento independente, onde estudantes são induzidos a refinarem o aplicativo em questão através da implementação de novas funcionalidades, utilizando recursos adicionais também apresentados em videoaula, ou explorando melhor/combinando os recursos já conhecidos. Esta etapa é capaz de estimular uma formação mais integral dos estudantes, valorizando sua criatividade e aumentando a liberdade de aplicação dos conhecimentos de forma a permitir um melhor alinhamento aos objetivos particulares de cada um.

A interdisciplinaridade estará presente tanto no objeto dos aplicativos produzidos quanto nos requisitos para seu desenvolvimento, exigindo aplicação de conhecimentos diversos como matemática, física e idiomas (português e inglês).

Chefe DEPE

Daiana Schmidt

daiana.schmidt@ifsc.edu.br

depe.slo@ifsc.edu.br


Nome do(s) responsável(is) pelo PPC e contatos

Vinícius Dal Bem

vinicius.bem@ifsc.edu.br

(49)3344-8495

Serão seguidas as orientações dispostas no Regulamento Didático Pedagógico (RDP), aprovado pela Resolução CONSUP n° 20, de 25 de junho de 2018. Conforme o art. 35 do RDP, a avaliação da aprendizagem terá como parâmetros os princípios do PPI e o perfil de conclusão do curso definido no PPC.

A avaliação dos aspectos qualitativos compreende o diagnóstico, a orientação e a reorientação do processo de ensino e aprendizagem visando à construção dos conhecimentos. A avaliação será realizada de forma processual e contínua, avaliando criatividade, organização, iniciativa e precisão técnica dos resultados, observados a partir dos arquivos e respostas enviados pelos alunos nas diversas atividades de aprendizagem propostas, que incluem resolução de exercícios e execução de experimentos e práticas.

As atividades, sejam exercícios ou práticas de construção de aplicativos, utilizadas para avaliação não serão disjuntas às atividades planejadas para o aprendizado, ou seja, não haverá atividades unicamente com objetivo avaliativo. Dessa forma, todos os envios de arquivos e respostas a questionários no AVEA serão contabilizados para a avaliação e receberão retornos (feedbacks) individuais.

As tarefas que irão compor a avaliação serão disponibilizadas no AVEA em faixas de tempo pré-determinadas no cronograma do curso, evidenciado na página inicial do mesmo ambiente. Este cronograma apresentará divisões/módulos aproximadamente semanais. Assim, as atividades poderão ser realizadas assincronamente, de forma a flexibilizar sua execução, respeitando a velocidade e agenda individual dos estudantes.

Seguindo a estrutura de atividades descritas na seção anterior, os principais instrumentos avaliativos no AVEA serão os questionários e os arquivos resultantes das práticas, sendo os principais critérios de correção:

• Para questionários: corretismo das respostas

• Para tarefas de desenvolvimento assistidas: precisão na reprodução dos passos demonstrados

pelo docente.

• Para tarefas de desenvolvimento independentes: implementação de recursos/funcionalidades sugeridas pelo docente ou selecionadas pelo próprio estudante com complexidade equivalente.

Os registros das avaliações serão feitos através de nota no diário de classe. Em consonância com o art. 41 do RDP o resultado da avaliação final será registrado por valores inteiros de 0 (zero) a 10 (dez). O resultado mínimo para aprovação em um componente curricular é 6 (seis).

A recuperação das notas será oportunizada ao aluno que não atingir o conceito mínimo na UC, configurando-se na revisita das atividades pedagógicas, tendo em vista o desenvolvimento das competências.

Baixar Arquivo
SIGAA | DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação - (48) 3877-9000 | © IFSC | appdocker1-srv1.appdocker1-inst129/09/2022 20:18